2 de outubro de 2004

entendimento

Aqui, a vida estende-se num demorado e silencioso cerúleo aceso. Moderadamente aceso. O amanhecer é contínuo e o anoitecer repousa ininterruptamente em paz, sem que nada se lhe atravesse. Nada claudica e tudo me parece misticamente permanente.
A amálgama de coloridos no céu enche o pequeno território onde vivo e o sincronismo é absoluto, vai para além do que é sonhável. Os ajustes já foram feitos, já não há memória de revoltas antigas e nenhuma alma só concebe agitação, desconforto ou aperto. Todos os sulcos foram preenchidos e todos os intervalos se dissolveram em detritos extintos. Por sua vez a limitação é agora libertadora, feliz. Aqui a vida é musical. A entoação é simples, o timbre agradável. Tudo está completo, repleto, perfeito. Eu e tu, sem saudade ou tristeza.
Aqui somos inocência precavida. Aqui, a vida não faz perguntas. Contigo, aqui compreendo a verdade.

1 comentário:

Inês disse...

o sítio do entendimento não tem mapa. então, agradeço duplamente a fotografia.