18 de março de 2005

'no impossível'

O bater da porta. O chiar do rodar da chave, o eco dos meus passos pela sala, o súbito interromper do pensamento. Eu, por subconsciência a interpelar a escrita. Dividido entre a vida e o entendimento, saboreando sozinho a irresolução. A subversão de o fazer. A dúvida, se acaso quero. E eu quero o impossível. Agora sei. Qualquer coisa de imaginário e irreal que jamais vou ter. E sentirei sempre a imperfeição do universo. E passarei os meus dias, sozinho, a escrevê-lo. E oiço, do meu quarto donde escrevo, sem nada saber, Calígula verbalizar o que sempre compreendi em minha solidão, os homens morrem e não são felizes.

13 comentários:

BlueShell disse...

Não se existe por leviandade...Há sempre algo...algo que dá sentido à nossa existência. temos é que o descobrir...
Jinho e bom fds
BShell

Ana disse...

Parece-me que cada um de nos deseja aquilo que nao julga possivel,ou que pelo menos aos nossos olhos nos parece tao impossivel.
gostei muito, muito*

Bellatrix disse...

Possivelmente. *

augustoM disse...

António, o pessimismo e a angústia andam a pairar por essas bandas.
Não se pensa menos nas coisas, só por termos a alegria de viver.
Viver é a única causa da nossa existência, por favor não deixemos o nosso egoísmo pessoal tentar moldar essa existência.
Um abraço. Augusto

AF disse...

Não, não é isso. Eu quero mais. "Eu quero a Lua", (para os que leram Calígula)

Ricardo disse...

Bom fim de semana:)

Anónimo disse...

Não li Calígula. Mas leio aqui esse desejo de impossivel.:)
Stela

Angel disse...

no impossivel pode estar o possivel.
* * *

Márcia Maia disse...

'Dividido entre a vida e o entendimento, saboreando sozinho a irresolução.'
Fazia tempo que não vinha aqui. Agora vejo o quanto perdi. Brilhante, este texto.

Felipe Alban disse...

Como Schopenhauer acreditava, não existe a felicidade apenas uma ausência de infelicidade.
Cada um pode dar um nome para felicidade, mas depende de nossas atitudes se somos felizes, isso por criarmos nossa visão da vida e nela formamos nosso destino, sendo assim o impossível não passa de mais uma criação, ele apenas existe se quisermos que ele exista.
Saudações,
Victor Emanuel.
Obs: Parabéns pelo blog e sucesso

indie girl disse...

lindo adorei este blog....está mt profundo..podes fazer uma visita ao meu blog e por lá um comentário..bj****

virna disse...

cheguei aqui através de outro blog (da amélia). uma trama. dos passos que conduzem aqui e ali.
o impossível? somos falta, sempre.
"il y a toujours quelquer chose d'absent qui me tourmente"
(camille claudel)

Carla disse...

Querer o impossível é querer tudo e não querer nada...É o tudo e o nada que formam o todo, e é o todo o mais desejado...
E entre essa procura do tudo e do nada, a felicidade distrai-nos, como coisa real e "patética"...