15 de novembro de 2005

Desapareceu a alma

A alma desapareceu de mim.
inventaram-se novas palavras e novos pareceres que surgiram numa noite.
O génio morreu.Morreu a sorte, o dom, o destino. Morreu o medo e o cansaço. Perdeu-se a vida, perdeu-se da vida. Nunca terá existido na mente dos cépticos que ajuizadamente duvidam de tudo o que respira ou sobrevive por influência dos outros. Nunca terá existido nem pelo simples facto de ter sido duvidada, debatida, questionada, contestada.- Existe a alma como existo eu. – Disse num suspiro Está simplesmente desaparecida dos corpos e das mentes ou do lugar onde habita.Foi roubada, depenada e absorvida por todos.
Ficou mais pequena. Desapareceu. Mas não morreu.

3 comentários:

Eremita Baptista disse...

muito bonito mesmo...parabéns...gosto muito de visitar blogs e por vezes surgem alguns que nos surpreendem...como este...

B o u n c e* disse...

Oi! ta muito giro o t blog!! Muito profundo esse poema...n keres dar uma passa n m blog e deixar um coment?
bjxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

bruno disse...

ja disse antes que isso aqui se parece mto comigo...
sera que vc acha o mesmo?

Mr. Brightside
*antigo Obscured