28 de março de 2005

Albert Camus

É o prazer de viver que dispersa, suprime a concentração, paralisa todo o impulso para a grandeza. Mas sem prazer de viver... Não, a solução não existe... A menos que seja uma solução fazer de um grande amor uma raiz e nele encontrar a fonte de vida sem o castigo da dispersão.

3 comentários:

JG disse...

É bom relembrar Albert Camus. O seu romance "O Estrangeiro" é uma obra-prima que influenciou, em grande medida, a minha adolescência. Talvez o tenha lido muito precocemente. Mas... já o reli mais tarde, e não deixa de me emocionar vivamente.

Gosto do teu blog. Vou linkar-te.
Abraço

joãoGonçalo disse...

desculpa-me a ignorância, mas este excerto foi resgatado de que livro?

AF disse...

'Cadernos' Abraço.