25 de outubro de 2007

2 momentos e meio

Foram dois momentos, primeiro no meu quarto, estava onde não devia estar um sapato preto, que não devia usar e uso porque tem um salto a merecer sapateiro. Vergonha para uma mulher. Deixei-o lá.
No dia seguinte, amei-te como nunca te amei. E nem te apercebeste. Só tinha uma frase na minha cabeça na saúde e na doença...
Amei-te porque ti vi tão imensamente puro, recém-nascido, indefeso. E talvez não só por isso apesar de não ter ainda encontrado a razão. Amei-te e isso basta-me.
(...)

2 comentários:

jose carlos lima disse...

olá, gostei

Sílvia disse...

Costumo dizer que não basta dizer a palavra "amo-te"...

~Mas, basta senti-la, isso sim. Basta amar.


:)