18 de maio de 2006

Já tarde

O amor continua
a ser o mesmo da janela
para a lua
que nem sempre se vê.
Continua o mesmo momento
e lá ao fundo a luz
que não revela nada
e é só luz
só luz lá ao fundo.
Deste lado repete-se
a vida
escolhe-se o tempo
perdido e palpita-se
a hora que chega tarde
e chega cedo
quando é já tarde.
E o amor continua
na mesma lua, da janela
de onde vem a luz.

Maria Ana Ferro

5 comentários:

Rute disse...

Bom sabor portugues, este.

Olinda disse...

OLá

Aviso que mudei de "poiso". Mudei para um apontador português. Estou em http://letrasdeprata.blogs.sapo.pt

Olinda

Raíz disse...

E ainda bem que continua... sem amor o que somos nós??? Beijinhos e parabéns... sabe sempre bem entrar aqui!!!

O Micróbio II disse...

Já estava com saudades... :-)

susana disse...

muito bom