20 de novembro de 2006

sempre meu amor

Sempre a pedir felicidade
E aquele sorriso
Aquela maneira de ser
E de estar
Sempre a exigir alegria
(meu amor)
E carinho
Sempre a querer.
Palmas à vida!
Batam palmas à vida
Na ironia.
Todos de pé!
Porque a vida é um poema
Sempre pedir-me
Rimas
Sempre a querer-me
Sempre a ouvir
Notas de música
Num sonho tão longe
(meu amor)
chama o sonho para mais perto
a vida é uma asneira
Salta com a vida
Salta mais alto que a vida
Que está laranja
Em pôr-do-sol.
Sempre a pedir.
Sempre a querer.
(meu amor)

1 comentário:

lobices disse...

…as minhas saudações…
…ao fim de 3 anos de escritos, o meu blogue http://lobices.blogspot.com morreu;
…entendi que havia cumprido a sua “missão”…
…porém, ele deu lugar ao livro “Lobices”, uma compilação de tudo o que foi escrito ao longo destes meus últimos anos de vida…
…a vossa visita ao meu covil será sempre agradável e lá encontrarão o link para a aquisição do livro se esse gosto me quiserem dar…
…a minha (e)terna gratidão pelo vosso apoio e presença ao longo destes tempos…
…o vosso sempre amigo
quim