12 de janeiro de 2005

Sinestesia do Espaço...

Entrei pelo o único espaço possível. Só havia uma porta. E era aquela.
Todos os sons e as cores e os cheiros me apontavam aquele curso e eu segui-o, reticente, hesitante.
As placas indicavam perigo e apesar de o reconhecer, censurei, ignorei, e entrei por aquela porta, intuitivamente.
A luz oferecia-me a mais apetecível alucinação, a mais tentadora transgressão e o pecado foi fácil…
Pequei, pequei, pequei. E o delito foi inculpável e o castigo tão estupidamente exacto. Paguei por entrar naquele espaço que nunca me pertenceu, que roubei por momentos e invadi como se me correspondesse. E já nada me pertencia. A sinestesia encontrada nunca foi minha. Eram cheiros de outros e gritos e sorrisos de outros, e toques de outros, e olhares alheios. E o que vi nunca foi meu…

8 comentários:

augustoM disse...

Chama-se a isso meter o nariz onde se não é chamado.
Um abraço. Augusto

Guida disse...

Muitas vezes,há portas que parecem servir-nos de cana de pesca há procura de caminhos que criamos nos sonhos. Umas vezes conseguimos um peixe grande, outras vezes atiram-nos com restos de lixo que vivem no fundo mais fundo do mar, e vêm parar a nós ao acaso.

Porém, é sempre bom lançarmos a porta à aventura, sentir a sinestesia das cores a entranhar-se no nosso espaço. Por vezes há sinestesias boas que podemos agarrar.

E essas sim, valem a pena. ;)

Um beijo*

(gosto -tanto- do teu blog...)

barbaciliano disse...

A consciência é poderosa .
Não me parece que te falte :)

Gostei de te ler!

BlueShell disse...

O pecado..primeiro o desafio, a sedução...depois o remorso, a dor...entendo-te bem demais... jinho, BShell

mfc disse...

E nunca te viste a perguntar a ti próprio como pecar melhor na próxima vez?

Å®t_Øf_£övë disse...

Por vezes sabe bem quebrar as regras,quer seja pecado ou não.

Å®t_Øf_£övë disse...

Por vezes sabe bem quebrar as regras,quer seja pecado ou não.

Å®t_Øf_£övë disse...

Por vezes sabe bem quebrar as regras,quer seja pecado ou não.