30 de maio de 2005

(...)

Tudo passa e se esvai em palavras.
Por isso tens de vir, morta, e aqui, comigo,
repor os prantos. Ouves o meu lamento?
Gostaria de lançar a minha voz como um pano
sobre os restos da tua morte,
e lançá-la até se fazer em farrapos,
e tudo o que digo deveria andar
andrajoso nesta voz e tiritar de frio;
se lamentar bastasse. (...)
Rainer Maria Rilke

4 comentários:

O Micróbio disse...

Li há bem pouco tempo algo sobre este austríaco que morreu no início do século XX, Rainer Maria Rilke, e ficou-me na ideia que se questionava sobre as possibilidades do homem viver sem Deus, chegando à conclusão que a única forma de redenção se vislumbraria apenas na criação poética.

Perséfone disse...

tenho de o ler...
*

Rute disse...

Uma sombra muito interessante, sem dúvida... Tenho de o ler. Obrigado pela dica ;)

pms disse...

vejam o Wings of Desire do Wim Wenders :)